Notícias

Equipes da Secretaria de Saúde promovem ciclo de orientações com representantes do comércio local sobre o coronavírus

A Prefeitura Municipal de Santa Luzia, por meio da Secretaria de Saúde, iniciou nesta quinta-feira (20), na Políclinica Dr. Kival de Araújo Gorgônio, o ciclo de orientações e condutas sobre as medidas que visam conter a disseminação do coronavírus (Covid-19), com os proprietários de estabelecimentos comerciais em funcionamento no município. A primeira parte reuniu representantes dos segmentos de supermercados, academias e óticas.

Os encontros ocorreram em horários distintos para evitar a aglomeração de pessoas no mesmo ambiente, conforme determina o Decreto Municipal 013/2020, que trata sobre as medidas de prevenção ao Covid-19.  Na oportunidade, foi detalhado aos participantes o Boletim Informativo 001/2020, com recomendações das Gerências de Vigilâncias Ambiental, Epidemiológica e Sanitária.

De acordo com a gerente de Vigilância Sanitária, Luanna Mousinho, a recomendação principal aos estabelecimentos  não é o fechamento, mas o controle interno de fluxo. “Os locais de grande circulação de pessoas, tais como terminais urbanos e rodoviários, estabelecimentos de saúde e comércio em geral; devem reforçar medidas de higienização de superfícies, disponibilizar gratuitamente álcool gel ou líquido a 70% INPM para usuários, em local sinalizado e adotar medidas de controle de fluxo de pessoas”, diz trecho do Boletim Informativo.

“Iniciamos um ciclo de orientações aos estabelecimentos comerciais de Santa Luzia diante da pandemia do COVID-19.  Gostaríamos de comunicar aos demais segmentos e estabelecimentos que estamos passando, paulatinamente, em cada um deles e comunicando sobre nossas orientações, as dúvidas serão esclarecidas e estaremos disponíveis para atendimento sobre o COVID-19”, complementou Luanna Mousinho.

Também esteve presente à reunião a gerente de Vigilância Epidemiológica Ambiental, Murielle Magda. “Nesse primeiro momento, seguimos as medidas previstas pelo Ministério da Saúde, e poderão ser reavaliadas mediante a situação epidemiológica do município”, explicou.


  « Voltar